Inventário Florestal, Medir para Gerenciar

Tradição e tecnologia para melhores resultados

Controlar os estoques atuais e futuros para garantir o abastecimento de madeira e o retorno de investimentos em ativos florestais sempre foi um desafio para indústrias, fundos de investimentos e produtores de madeira em geral. O fato é que só se pode gerenciar o que está mensurado. Surge daí a necessidade de métodos quantitativos, como o inventário florestal, que possibilitam acompanhar o desenvolvimento das florestas e fornecer dados que suportem o planejamento e manejo dos ativos.

No entanto, a grande extensão dos maciços florestais, a alta demanda de trabalho manual exigida para mensuração em campo e as consequentes dificuldades logísticas encarecem e aumentam o tempo para se obter resultados confiáveis do estoque de madeira e respectivas projeções futuras. Para superar estes desafios, diversas alternativas têm apesentado potencial para auxiliar no monitoramento dos ativos, como o uso de imagens de satélite, técnicas de geoprocessamento, tecnologias LiDAR, veículos aéreos não tripulados, algoritmos tradicionais e de machine learning, entre outras.

Há uma mudança de paradigma importante com a introdução de novas tecnologias. Com mais opções disponíveis, a percepção entre certo e errado se dilui, cabendo ao gestor decidir o que se aplica e o que não se aplica às expectativas e objetivos de cada empresa, considerando o melhor equilíbrio entre técnica, acurácia, precisão, frequência, custo e confiabilidade.

Na Geplant acreditamos que é possível aliar a tradição e confiabilidade dos métodos tradicionais de inventário à enorme evolução tecnológica que vivenciamos atualmente. Afinal, já imaginou realizar estimativas remotas do estoque de madeira por talhão e otimizar o processo de mensuração? Na era do conhecimento, a grande disponibilidade de dados e poder de processamento tornaram-se nossos aliados na análise da floresta.

Com a plataforma GPT, fornecemos uma visão detalhada dos ativos florestais, combinando observações de campo, sensoriamento remoto e expertise em modelagem em um processo integrado, capaz de ampliar as resoluções, espacial e temporal, dos métodos tradicionais de mensuração florestal, trazendo agilidade, acurácia e redução de custos. Na plataforma é possível acompanhar, por exemplo, o crescimento trimestral de todo um maciço florestal, com os resultados gerados em poucos dias.

Em um estudo de caso em aproximadamente 5.000 ha (Figura 1), conseguimos estimar remotamente o estoque de madeira em florestas de diversas idades, alcançando um erro de 1,6% em relação aos resultados do inventário contínuo. Junto com nossos clientes, estudamos a possibilidade de otimizar em até 70% os esforços de campo com esta nova tecnologia.

Quer saber mais sobre alternativas para otimização do inventário florestal? Entre em contato conosco.

Fig 1.: Estudo de caso realizado em 4.792 ha de Eucalyptus sp, abrangendo mais de 140 talhões nos estados de MG e MS. A diferença média foi de 1,6% em relação ao resultado do inventário florestal.

Publicado em 4 de setembro de 2019

Artigos e Notícias

Veja mais
Geplant Tecnologia Florestal Ltda.
CNPJ 22.389.448/0001-81
Website por Index Soluções
Fotografia por Daniel Carvalho