TIRE SUAS DÚVIDAS

FAQ - GESTÃO DA PRODUTIVIDADE

1O que é Gestão da Produtividade?

A Gestão da Produtividade é uma abordagem sistêmica, quantitativa e integrada que contempla a mensuração, avaliação da performance, priorização de estratégias e análise de riscos na produtividade florestal. Por esse motivo é o termo usado pela Geplant para designar sua plataforma de análise da produtividade florestal, a GPT.

A plataforma GPT auxilia investidores de ativos florestais, indústrias de base florestal e produtores de madeira a maximizar o retorno sobre os investimentos, aumentando a previsibilidade dos estoques atuais e futuros, reduzindo os custos de monitoramento e otimizando as recomendações de manejo para aumentar a performance dos plantios.

2Como a plataforma GPT funciona?

A metodologia GPT da Geplant integra dados, ferramentas analíticas e tecnologia florestal para gerar indicadores confiáveis e estabelecer ações direcionadas de melhoria, visando ganhos em produtividade e avaliação de riscos futuros. Assim, é possível identificar e quantificar os impactos climáticos na produção de madeira e as oportunidades com o manejo silvicultural.

Utilizamos uma versão adaptada do modelo de crescimento florestal 3-PG (Physiological Principles Predicting Growth), integrado com monitoramento via sensoriamento remoto e mensurações tradicionais de inventário florestal. Após sua publicação em 1997, muitas pesquisas têm demonstrado a habilidade do 3-PG em representar e simular as condições de crescimento de plantações florestais ao redor do mundo. Isso permite a integração dos processos de crescimento, que vão desde a célula até o povoamento com uma relação direta de causa e efeito entre as etapas de cálculo.

Essa abordagem, conectada de maneira coerente com ferramentas de gestão de riscos, estatísticas, Data Science e conceitos de Yield Gaps, permite expandir de forma significativa o olhar e poder de tomada de decisões em relação a produtividade florestal.

3No que consiste o indicador de Performance do Manejo?

Para avaliarmos de forma consistente a produtividade florestal não basta saber apenas a produtividade mensurada em campo, mas também qual deveria ser a produtividade em uma situação de pleno desenvolvimento, com os recursos disponíveis de cada sítio. Isto permite criar uma régua dinâmica e atemporal de produtividade.

Assim o indicador de performance é dado pela razão entre produtividade real e o que chamamos de produtividade atingível (patamar ótimo de produtividade, ponderando as condições meteorológicas atuais). Quanto mais próximo de 1 (ou 100%), melhor a performance do manejo, e a diferença entre a produtividade atingível e a real é o que chamamos de oportunidade de manejo, ou seja, onde há potenciais ganhos com melhorias no manejo.

4Qual a confiabilidade do resultado do inventário florestal remoto?

A ferramenta Inventário Florestal faz parte da plataforma GPT e fornece uma visão detalhada dos ativos florestais, combinando observações de campo, sensoriamento remoto e expertise em modelagem em um processo integrado, capaz de ampliar as resoluções espacial e temporal dos métodos tradicionais de mensuração florestal, trazendo agilidade, acurácia e redução de custos.

Para atingir maior nível de acurácia, são feitas calibrações e validações dos modelos preditivos nas condições reais do cliente. Estudos em andamento mostraram que os erros obtidos com a ferramenta são menores que 2% em relação ao inventário florestal contínuo.

5É possível utilizar a ferramenta para fazer projeções de crescimento?

Sim, inclusive é um dos grandes diferenciais de nossa metodologia frente aos métodos tradicionais. Na plataforma GPT os efeitos do clima são contabilizados para estabelecer uma margem de desvio que pode ocorrer em função de condições climáticas adversas ou favoráveis.

Naturalmente, quanto mais distante da colheita, maior a exposição dos plantios às condições do tempo e maior a amplitude de variação. Conforme nos aproximamos da data de colheita, melhor a previsibilidade.

Em nossas avaliações, os erros médios são bem próximos de zero, o que significa que nossa ferramenta não apresenta viés nas projeções, mesmo partindo de condições climáticas atípicas.

6Qual a frequência de atualização dos resultados?

O crescimento florestal é calculado mensalmente, com atualizações trimestrais dos resultados aos clientes. Isso permite que gestores e silvicultores façam atualizações mais recorrentes do valor do ativo, traçando estratégias de melhoria e analisando eventuais sinistros que possam ocasionar quebras na expectativa de produção.

7É possível comparar diferentes materiais genéticos com a metodologia GPT?

Sim. Através do indicador de performance do manejo criamos uma avaliação que pondera as condições ambientais sobre a performance dos materiais genéticos em um indicador relativo de fácil entendimento. Com ele é possível enxergar as interações genótipo X ambiente e traçar estratégias de otimização no posicionamento dos materiais genéticos.

8É possível analisar áreas que não possuem florestas plantadas?

Sim. Em áreas de expansão florestal essa metodologia permite simular as expectativas de produção com bases metodológicas sólidas, reduzindo a subjetividade do processo e fornecendo cenários de riscos baseados em probabilidade. Possuímos uma ampla base de dados pra o território nacional, permitindo esse tipo de análise.

Com essa abordagem, investidores e gestores florestais são capazes de traçar estratégias de crescimento mais seguras sobre as questões de compra de terras, fomento e arrendamento através de indicadores quantitativos de produtividade.

9Em quanto tempo é possível implementar essa metodologia?

Em até três meses. Toda base de dados é organizada e estruturada para alimentar os modelos, que são calibrados regionalmente para cada cliente. Após validação, a metodologia entra em produção com atualizações trimestrais dos resultados.

FALE COM A GENTE

AGENDE UMA DEMONSTRAÇÃO


Acreditamos que a melhor forma de conhecer nossa solução é na prática. Conheça o que a tecnologia Dossel pode fazer pelo seu negócio.

CONTATO@GEPLANT.COM.BR